quinta-feira, 20 de abril de 2017

Permissionários entram na Justiça para reverter extinção de micro-ônibus em Cuiabá

O Sindicato das Empresas de Transporte Alternativo de Cuiabá e Várzea Grande (SETA) entrou com uma ação judicial para reverter a extinção de seis permissões de micro-ônibus na Capital. Há cerca de 40 dias, os veículos foram lacrados, ou seja, impedidos de rodar, sem que fosse mantido o direito de defesa, com notificação prévia e período para manifestação. No final de 2016, situação semelhante ocorreu por duas vezes e o Poder Judiciário deu parecer favorável aos táxis-lotação em ambos os casos.

A alegação da Secrtaria de Mobilidade Urbana (Semob) foi que os veículos já haviam ultrapassado o período de validade, porém, as empresas não foram notificadas sobre a decisão, o que é garantido por lei. Outro ponto controverso, segundo a assessoria jurídica do Sindicato, é que no relatório da Agência Municipal de Regulação dos Serviços Públicos Delegados de Cuiabá (Arsec) publicado no Diário Oficial de Contas em fevereiro, foram citados 27 ônibus estão ultrapassaram o prazo de validade de 10 anos, mas nenhum foi lacrado pela Semob.

Nas várias reuniões entre a Semob e o Seta, os empresários afirmaram ter interesse em fazer o investimento para melhorar os micro-ônibus, no entanto, precisam ter um prazo para a compra de novos veículos e durante esse período, eles iriam fazer uma revisão geral nos táxis-lotação, com inspeção realizada por uma empresa para garantir o estado de conservação.

"Mais de 180 mil pessoas foram prejudicadas, fomos retirados de circulação sem direito de defesa, de forma arbitrária. Temos micros novos para colocar na frota, mas a Semob não aceita a substiuição. Infelizmente as gestões passam, mas só conseguimos resolver nossos problemas através do Judiciário", afirma o presidente da Seta, Marco Aurélio Sales.

Fonte: Pau e Prosa Comunicação 

sexta-feira, 14 de abril de 2017

Emilio delata os Marinho: Se eu fosse um blogueiro sensacionalista, poderia dizer que se a Odebrecht é o pai, a Globo é a mãe do petrolão.

No minuto 12:45, Emilio Odebrecht menciona a organização, pela Odebrecht, de uma “sociedade privada”, com participação da Globo, com objetivo de fazer lobby pela privatização da telefonia pública e pela quebra do monopólio do Estado no setor de petróleo.
É um lobby diretamente ligado ao financiamento político do PSDB e do governo FHC.
A delação de Emilio Odebrecht está muito interessante. O empresário é um contraste chocante com os burocratas do Ministério Público, que não tem a mínima ideia de como funciona a vida real no mundo da política e dos negócios.
Pelo depoimento de Emilio, fica evidente que a Lava Jato começa com Odebrecht e Globo organizando, para o governo, o arcabouço jurídico dos setores de telecomunicação e petróleo, no Brasil, durante os anos seguintes. É o início do “petrolão”.
O famigerado “cartel das empreiteiras” foi idealizado inicialmente por uma sociedade privada formada por Odebrecht e Globo.
Se eu fosse um blogueiro sensacionalista, poderia dizer que se a Odebrecht é o pai, a Globo é a mãe do petrolão.
Lula era um elemento estranho nas grandes negociatas. Um “Amigo” politicamente simpático, porque interessado em ampliar a infra-estrutura do Brasil e financiar a exportação nacional de serviços de engenharia, uma liderança política a quem a Odebrecht tentava agradar com ajudas financeiras às campanhas eleitorais do PT.
No mesmo vídeo, Emilio admite que sua empresa financiou, via caixa 1 e 2, as duas campanhas de Fernando Henrique Cardoso, de quem era muito próximo.
No vídeo, o procurador parece um personagem de Porta dos Fundos, ultranervoso com as citações a FHC, tentando fugir, em vão, de assuntos que possam envolver o PSDB.

O cafezinho

quinta-feira, 13 de abril de 2017

Joelma da volta por cima e surpreende fãs com o primeiro dvd de carreira solo

O álbum será lançado no final do mês de Abril mas já surpreende fãs com prévias nas redes sociais da artista, o dvd de carreira solo de Joelma está incrível e até mesmo quem não curtia as músicas da cantora Paraense passou a curtir.
A ex vocalista da Banda Calypso ao qual esteve a frente por mais de 16 anos agora na carreira solo Joelma foca justamente este recomeço. Com músicas dançantes e de dor de cotovelo, como “Não Teve Amor” e “Game Over”, a cantora mostra estar disposta a conquistar o mundo mais uma vez. “Joelma” é a carta aberta de mulher bem resolvida, sem papas na língua e agora de novo look, loiro platinado. Na identidade visual do trabalho, Joelma aparece transformada em heroína como uma supermulher das HQs
americanas.

Para marcar a nova fase da carreira, Joelma e sua equipe montaram uma superestrutura para o DVD, com painéis de LED, 12 câmeras de gravação e um palco em formato de bota, marca que representa a cantora. Em relação aos músicos que acompanharam Joelma no DVD, a maior parte eram integrantes da antiga Banda Calypso, assim com os quatro dançarinos do corpo de balé. Para incrementar o DVD, a cantora convidou duas artistas: Solange Almeida, do Aviões do Forró, e Ivete Sangalo. "Foi uma escolha pessoal e um convite feito pela própria Joelma. Ela queria que fossem artistas que gostassem dela, a conhecessem e que fossem mulheres. Justamente pelo momento em que ela vive"

quarta-feira, 12 de abril de 2017

Semob faz Implantação da Linha Expressa nos bairros Pedra 90 e Parque Cuiabá



Os usuários do transporte coletivo público dos bairros Pedra 90 e Parque Cuiabá passarão a contar com uma nova opção de locomoção a partir de hoje segunda-feira (10). Trata-se da implantação do projeto “Linha Expressa”, que proporcionará a otimização no tempo de viajem dos moradores que necessitam deslocar-se até a área ...central da cidade

A Linha Expressa do Parque Cuiabá deverá ter três veículos com saídas previstas às 5h30. O sistema deverá funcionar de maneira semelhante à do Pedra 90: vai parar em todos os pontos do bairro e seguir até a Avenida Fernando Corrêa da Costa, parando também no ponto depois do viaduto da MT-040 e no seguinte ao viaduto Clóvis Roberto. A parada final dessa linha será na praça Bispo Dom José.

AB Assessoria

terça-feira, 28 de março de 2017

Reviravolta no Senado! Renan lidera motim contra lei da terceirização!

Derrota de Temer.
Derrota da Globo.
Renan, possivelmente irritado com a chantagem do consórcio Globo/PGR, que mais uma vez se uniu para tentar coagi-lo a obedecer às orientações do golpe, resolveu chutar o balde.
E organizou um motim em prol da classe trabalhadora.
Sob sua liderança, a bancada do PMDB não vai apoiar a terceirização selvagem, para todas as atividades, conforme aprovado na Câmara e desejado por Michel Temer, o drácula dos direitos sociais.
De todos os caciques do PMDB, Renan Calheiros é o que tem demonstrado mais incômodo com o neoliberalismo ensandecido, fanático e inconsequente do governo Temer.
É também o político que tem detectado, com mais sensibilidade, a mudança nos ventos da opinião pública, incluindo aí o crescimento da revolta popular contra o governo Temer e o declínio da “fúria reacionária”.
Diferente de Temer e de alguns de seu entorno (Moreira Franco, Eliseu Padilha), que estão aproveitando os instantes de poder para saquearem o Brasil sem pensar no dia do amanhã, até porque não enxergam nenhum futuro político para si mesmos, Renan tem ambição de continuar na política. Seu filho é governador de Alagoas. E ele sabe que, para isso, precisa se afastar de um governo profundamente impopular e ilegítimo.
Claro que é cálculo.
Mas um cálculo bom!
Além disso, é o primeiro resultado concreto das mobilizações de rua!

O Cafezinho

Blogueiro Encontra Insetos em Freezer do Supermercados Dia-Dia em Cuiabá.

A rede de supermercados Dia-Dia, em Cuiabá, em especial do bairro Pedra 90 foi denunciado à Vigilância Sanitária pelo blogueiro Allef Borges, que encontrou insetos dentro de freezers, o blogueiro tirou fotos do "bichinho" e afirma que procurou o funcionário responsável pela seção e por ser domingo não encontrou, mas avisou a Operadora de Caixa que teria dito que "não poderia fazer nada sobre o assunto"....

Em entrevista ao nosso blog diversos clientes reclamaram sobre a falta de cuidados em relação a vigilância do Supermercado.

FIQUE ATENTO!

sexta-feira, 10 de março de 2017

CRISE: Hotéis fecham as portas em Cuiabá e quem decidiu continuar no ramo, tenta se reinventar para não ter o mesmo fim.

Dois anos após a Copa do Mundo Fifa no Brasil, em que Cuiabá foi uma das cidades-sede, a rede hoteleira da capital enfrenta queda no número de hóspedes e luta para valer o investimento feito para o mundial. Para acomodar os visitantes durante a copa, o número de leitos em Cuiabá e Várzea Grande, região metropolitana de Cuiabá, saltou de 8,5 mil para 17 mil. No evento, a ocupação chegou a 80% da capacidade da rede hoteleira. Agora, porém, o número não chega a 50%.
Só em 2016, dois hotéis em Cuiabá fecharam as portas. Quem decidiu continuar no ramo, tenta se reinventar para não ter o mesmo fim. Há 20 anos no mercado da rede hoteleira, a empresária Rosana Bortoleti diz nunca ter enfrentado uma crise como esta. Para ampliar seu estabelecimento e se preparar para a copa ela realizou um empréstimo de R$ 3 milhões. O hotel passou de 40 para 75 leitos.
“A taxa de ocupação depois da copa despencou. Hoje eu tenho inovar. Criei uma sala de eventos, tentei melhorar o atendimento, mas, ainda assim, está difícil pagar as contas”, afirmou. A taxa de ocupação tem sido menor que 50% o que, segundo a empresária, tem sido um desafio. “Com um número menor que 40% é inviável manter as portas abertas”, completou.
Quando a taxa de ocupação já não cobre mais as despesas fixas, a alternativa é mudar de ramo. Foi o que fez a empresária Ana Lúcia Machado. Ela transformou o hotel, construído para abrigar os turistas durante o mundial, em consultórios médicos. E o novo empreendimento tem superado as expectativas. “Estamos tendo bastante movimento, bastante procura de médicos que querem atender aqui”, afirmou.
Quem decidiu ficar no ramo e enfrentar a crise, busca alternativa para reduzir custo, sem perder a qualidade. As compras coletivas têm sido uma das estratégias.
“É uma alternativa muito viável, porque às vezes o frete para trazer produtos de fora do estado é grande. Em uma compra coletiva, a gente pode barganhar esse valor”, explicou o presidente da Associação Brasileira da Indústria Hoteleira de Mato Grosso, Bruno Delcaro.