terça-feira, 15 de setembro de 2015

Busca por Silval gera mobilização

A tarde de terça-feira foi de movimentação na sede da Delegacia Fazendária. Materiais apreendidos pelos agentes da Polícia Civil como computadores, pen drives e papéis foram recolhidos para análise. Diversas testemunhas foram conduzidas coercitivamente para prestar depoimento. Todas evitaram falar com a imprensa. 

Na relação estava a esposa, ex-esposa e o filho do ex-secretário de Estado, Pedro Nadaf. Preso preventivamente, o ex-secretário de Fazenda, Marcel Cursi, compareceu aproximadamente às 19h30 escoltado por agentes da Polícia Civil para prestar depoimento, porém, evitou entrar em contato com a imprensa. 

Um forte esquema de segurança foi montado para encontrar o ex-governador Silval Barbosa (PMDB). O helicóptero Águia percorreu pontos de Cuiabá e Várzea Grande para encontrá-lo, mas até o começo da noite não houve êxito. A Polícia Militar recebeu ordens para abordá-lo e prendê-lo com o devido encaminhamento aos órgãos de segurança, mas apesar de toda a movimentação o peemedebista não foi encontrado, o que levou a ser considerado foragido da Justiça. 

Os advogados do ex-governador se deslocaram até o Fórum de Cuiabá para solicitar a decisão da juíza da 7ª Vara Criminal de Cuiabá, Selma Rosane Arruda, que culminou na ordem de prisão preventiva. Até o momento, ninguém sabia do fundamento da prisão no processo que tramita em segredo de Justiça. 

Nos bastidores, se comentava que Silval Barbosa planeja permanecer foragido até sua defesa conseguir revogar o mandado de prisão preventiva. Uma das saídas é pedir a revogação à própria juíza Selma Arruda, responsável pela expedição ou ingressar com habeas corpus no Tribunal de Justiça, o que levaria o pedido ser apreciado por um dos desembargadores que compõem alguma das Câmaras Criminais do Tribunal de Justiça. 

O advogado Valber Melo rechaçou o argumento de que o ex-governador estaria foragido. “Ele não foi encontrado na residência oficial no momento de ser cumprida a prisão. Isso não significa que esteja foragido”, disse. 

Uma das suspeitas é que Silval Barbosa tenha sido comunicado da prisão preventiva minutos antes de comparecer à sede da Assembleia Legislativa para prestar depoimento na CPI da Renúncia e Sonegação Fiscal que apura irregularidades na concessão de incentivos fiscais. Uma equipe da Polícia Civil estava presente no auditório Milton Figueiredo, onde iria ocorrer o depoimento. Nos bastidores, se comentou que o ex-governador poderia ter partido para a região do Manso, localizada a 80 km de Cuiabá, o que não veio a ser confirmado pela Polícia Civil. 


(Rafael Costa/Diário)

Nenhum comentário: