quarta-feira, 2 de setembro de 2015

Justiça vai investigar tucano que ameaçou matar a presidenta Dilma

O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, determinou, nesta terça-feira (1º), a abertura de inquérito pela Polícia Federal para apurar as ameaças proferidas contra a presidenta Dilma Rousseff pelo advogado Matheus Sathler Garcia, candidato a deputado federal pelo PSDB do Distrito Federal em 2014.
Em um vídeo publicado na internet, Sathler afirma que, caso Dilma não cumpra as exigências do Movimento Menos Impostos e Mais Valores, do qual ele faz parte, eles irão, juntamente com as “forças armadas populares do Brasil”, tirar a presidenta do poder.
De acordo com Sathler, caso Dilma desobedeça, “sangue vai rolar e não será de inocentes”. O agressor ameaça arrancar a cabeça da presidenta com o martelo e a foice, símbolos seculares da luta dos trabalhadores do campo e da cidade. Antes de terminar a gravação, o advogado diz que não é uma ameaça e nem aviso, porque “quando o povo agir, aí não vai ter mais volta”. Ao final da gravação, ele diz, “que deus traga paz à nossa nação”.
Por meio de nota, o ministério afirma que a decisão de Cardozo foi encaminhada ao diretor-geral da Polícia Federal. “As medidas legais serão aplicadas ao caso para que, realizada a investigação policial, possam ser tomadas as sanções penais cabíveis”, informa.
Na segunda-feira (31), o deputado Paulo Pimenta (PT-RS) apresentou um conjunto de requerimentos à Polícia Federal, ao Ministério da Justiça (MJ), ao Ministério Público Federal (MPF) e à Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), para que as ameaças sejam apuradas.
“Não vamos mais tolerar nenhuma ameaça. Vamos acompanhar o inquérito até o final para que o exemplo desse tucano sirva de alerta a todos aqueles que acham que podem se esconder na impunidade”, alerta

Nenhum comentário: