sexta-feira, 18 de setembro de 2015

Você sabia? O Deputado federal de Mato Grosso que recebeu R$ 500 mil de empresa denunciada na Lava Jato?

Empresa Galvão Engenharia, denunciada na Lava Jato doou meio milhão para campanha de Leitão! 

Uma das 8 empresas investigadas na Operação Lava Jato, da Polícia Federal, foi a principal doadora da campanha do deputado federal mais votado de Mato Grosso em 2014. A Galvão Engenharia, uma das principais envolvidas no desvio de recursos da Petrobrás, doou R$ 500 mil para a campanha do deputado federal reeleito, Nilson Leitão (PSDB).

O recurso foi repassado através da Direção Nacional do PSDB. O montante corresponde a mais de 20% do total arrecadado para campanha de Nilson Leitão. Na prestação de contas no TSE, o deputado declarou um gasto total de R$ 2,4 milhões – a 4ª campanha mais cara entre os deputados eleitos. Leitão fez 127.749 – um custo de R$ 19,25 por voto obtido.
Ao todo a campanha contou com 102 doações. A maior foi da Galvão Engenharia, realizada no dia 19 de setembro de 2014 – 6 meses depois da Polícia Federal deflagrar a operação Lava Jato. A doação de campanha não faz parte das investigações da operação e até o momento, é considerada “legal”.
Campanha doce  
Boa parte da campanha do deputado mais votado foi regada a açúcar e álcool. Leitão recebeu doações de campanha de 6 diferentes usinas de açúcar e álcool – duas inclusive do Estado de São Paulo. Somando as doações desse setor chega-se a cifra de R$ 407 mil. Em mais da metade do Estado de Mato Grosso é proibido o plantio de cana-de-açúcar. Leitão é um dos nomes no Congresso Nacional que mais tem se levantado contra essa moratória.
Outros grandes doadores da campanha do deputado são Elusmar Maggi (R$ 223 mil), o Grupo Mônaco (R$ 200 mil), Wilson Pozzobom (R$ 200 mil), CRBS AS/Ambev (R$ 179 mil) e Erai Maggi (R$ 94 mil). 
Comparando 
Entre os 8 deputados federais eleitos por Mato Grosso, a campanha mais cara foi de Adilton Sachetti (PSB). Integrante da mesma chapa de Leitão, ele foi o segundo mais votado, com 112.722 votos. Sua campanha gastou R$ 3,8 milhões. A segunda campanha mais cara, do mesmo grupo, foi de Fábio Garcia (PSB), que gastou R$ 3 milhões. Ele fez 104.976 votos. Na mesma coligação está a terceira campanha mais cara. Ezequiel Fonseca (PP), gastou R$ 2,5 milhões e foi o 6º mais votado. Leitão teve a 4ª campanha mais cara, com R$ 2,4 milhões.
Na sequência estão Carlos Bezerra (PMDB), com R$ 1,6 milhões; Ságuas Moraes (PT), com R$ 993,9 mil; Victório Galli (PSC), com R$ 814 mil; e Valtenir Pereira (PROS), dono da campanha mais modesta, com R$ 320,4 mil gastos.

A prestação das contas de campanha destes e outros candidatos pode ser acompanhada através desse link:http://inter01.tse.jus.br/spceweb.consulta.receitasdespesas2014/abrirTelaReceitasCandidato.action
Fonte: Jamerson Miléski

Um comentário:

Maria Antonia disse...

Pois então! O Deputado do PSDB que está assumindo a frente pela moralidade no Brasil, contra a corrupção, pelo impedimento da Presidenta Dilma do PT, partido que segundo ele, "institucionalizou a corrupção no país"! Olha, minha gente, quanta hipocrisia!!! Este Deputado,responde pelo maior número de processos judiciais e inquéritos no STF! Se não se lembram, foi preso em 2007 pela Operação Navalha da PF, suspeito de desvio de recursos públicos! Nesse episódio trouxe um prejuízo de 110 milhões aos erários públicos. Um caso rumoroso no país, o da Máfia das Ambulãncias,em 2006, lá estava ele, investigado na Operação Sanguessuga. Tem no seu currículo fraude a licitação, corrupção passiva, improbidade administrativa qdo foi Prefeito de Sinop ... Mtos desses processos judiciais encontram-se mofando em alguma gaveta e outros estão prescritos, viraram pó! Infelizmente! Aí vem posar de homem correto!