terça-feira, 26 de julho de 2016

Suplicy vai preso por defender oprimidos.

No auge dos seus 75 anos, Suplicy é um defensor honrado e incansável dos mais pobres e das minorias e com um ato de coragem e defesa aos mais pobres se deitou diante de uma reintegração de posse em São Paulo e foi preso pela polícia de Alckimin na maneira como o estado age ''NA FORÇA'' não poderia haver algo mais honroso que a prisão de Suplicy que nos orgulhou com um dos seus melhores papeis, o de ativista social.

O Brasil é visto lá fora como um país bizarro e particularmente pra mim é ''nojento'' onde prende Suplicy e mantém Eduardo Cunha solto com contas na Suíça pra esconder propinas e dinheiros desviados... Mundo, bem vindos esse é o país das olimpíadas o país da impunidade Eduardo Cunha roubou, mentiu, ameaçou, mudou projetos de lei para beneficiar empresas que patrocinaram sua eleição a deputado federal Cunha fez tudo isso, e muito mais. E está aí, sem ao menos sequer uma tornozeleira que preservasse parcialmente a indignidade que é ele permanecer livre.

Curta nossa página no facebook https://www.facebook.com/Frentepantanal/

quarta-feira, 20 de julho de 2016

Gaeco prende ex-secretário de Educação de Mato Grosso

Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco), integrado por promotores, delegados e policiais militares e civis, deflagrou na tarde de hoje a segunda fase da “Operação Rêmora”,  denominada "Locus Delictii" que tem por fim desmantelar uma organização criminosa formada por servidores públicos estaduais e empresários do ramo de construção civil. O grupo agia de forma organizada em cartel distribuindo entre si diversas licitações de construção e reforma de escolas públicas estaduais na Secretaria de Estado de Educação de Mato Grosso.  
Nesta fase, novos integrantes da organização criminosa já foram identificados. Foi determinada pela juíza da 7ª Vara Criminal de Cuiabá, Selma Rosane Santos Arruda, a prisão do ex-secretário de Estado de Educação, Permínio Pinto Filho (PSDB).
Após a deflagração da primeira fase operação no dia 03 de maio, o Gaeco debruçou-se sobre os documentos e elementos colhidos no cumprimento dos mandados de busca e apreensão e demais provas coletadas no sentido de elucidar toda a cadeia delitiva, em especial a cadeia de comando da corrupção e demais crimes. Após análise de todo material e em outra provas coletadas, o Gaeco comprovou que o ex-secretário Permínio Pinto Filho participou ativamente do comando decisório da organização criminosa já denunciada com 22 integrantes.
De acordo com os elementos de prova, foi possível constatar que no escritório mantido pelo empresário Giovani Belatto Guizardi, localizado no Edifício Avant Garden Business, em frente a trincheira do bairro Santa Rosa, a organização criminosa reunia-se para deliberações e acerto de contas acerca dos crimes praticados. Após a deflagração da primeira fase, foi possível elucidar de forma cabal a presença física do ex-secretário na cena do crime.
O Gaeco obteve documentos junto a administração do edifício comprovando que o ex-secretário ia constantemente ao local. "Temos comprovação de que o ex-secretário Permínio Pinto esteve em reunião com o operador da propina Giovani Guizardi no quartel general do crime organizado antes das reuniões ocorridas entres os empresários denunciados em que ocorreram a distribuição das obras da Seduc, que sequer estavam publicadas", comentou o coordenador do Gaeco, promotor Marco Aurélio Castro.
Segundo ele, novas fases serão realizadas sobre fraudes de R$ 56 milhões em obras na pasta. "Outros personagens já estão identificados sendo que as investigações ainda prosseguem e novas fases não estão descartadas. Importante frisar que na deflagração da primeira fase da Operação Rêmora não havia qualquer indicativo da participação de Permínio Pinto nos malfeitos sendo que a produção de novas provas a partir da deflagração da primeira fase possibilitou o avanço das investigações e o surgimento de prova de que o ex-secretário agia dentro da pasta para finalidades espúrias", afirmou.
Até agora, 22 pessoas foram denunciadas pela corrupção na Seduc. Além de Permínio Pinto, que chegou a ser cotado para ser vice na chapa do prefeito de Cuiabá, Mauro Mendes (PSB), estão presos desde maio preventivamente o empresário Giovani Guizardi, além dos ex-servidores Moisés Dias da Silva, Wander Luiz dos Reis e Fábio Frigeri.
O Gaeco efetuou no dia 06 o pedido de prisão. No dia 15, Selma autorizou a detenção preventiva do ex-secretário exonerado pelo governador Pedro Taques (PSDB) e entrou em férias de 15 dias.

segunda-feira, 11 de julho de 2016

Privatização no Ensino Público em Mato Grosso dá medalha de lata ao Governador Pedro Taques e despenca sua Popularidade no Estado.

Estudantes da rede Estadual de ensino ocupam Secretaria de Educação em MT. 
Alunos e manifestantes contrários a posição do governo do estado juntamente com o secretário da SEDUC, em forma de protesto alunos ocuparam a Secretária de Educação 11/07 manifestando contra a implantação do modelo de Parceria Público-Privada (PPP) com intuito de gerir as unidades escolares de Mato Grosso.

A ideia de implantação do projeto foi anunciada em maio pelo governador Pedro Taques (PSDB), e virou pauta de discussão entre alunos, professores e profissionais da Educação, além de provocar a ocupação em diversas escolas em manifestação contra o que já vem sendo tratado com a “privatização da educação”.

Além de protestarem contra o modelo de implantação, os estudantes também exigem novo concurso público para professores, assim como instalação de uma Comissão Parlamentar na Assembleia Legislativa de Mato Grosso para investigar supostas fraudes na Educação.

Por outro lado: 

Pesquisas apontam baixa popularidade do governo Pedro Taques

O governo Pedro Taques (PSDB) é avaliado abaixo da expectativa, com desempenho nos primeiros 10 meses de governo aquém do esperado e pior que os últimos governadores em início de mandato. Isso, mesmo tendo gasto mais de R$ 70 milhões com propaganda e marketing.
Os dados constam da pesquisa divulgada pelo instituto KGM, que prestou consultoria para sua campanha eleitoral. Taques é avaliado de forma positiva por apenas 47,2% dos mato-grossenses, contra 68% do primeiro ano de Silval e 79% do governo Blairo.
Levando em consideração que Pedro Taques foi eleito com 57% dos eleitores, significa que Taques perdeu aproximadamente 10% de apoio desde que iniciou o mandato.
Para 5,6%, o tucano tem feito um governo ruim, enquanto 7,4% definem-no como péssimo.
O instituto, que presta assessoria para o governo Taques, perguntou ainda como os entrevistados se sentem em relação ao desempenho do seu Governo. Neste quesito, 29,9%, ou quase um terço da população entende que seu governo está abaixo do esperado.
13% acha que o governo Taques está ruim ou péssimo e 18% simplesmente reprova.