quarta-feira, 7 de setembro de 2016

CUIABÁ: HÁ UMA LUZ NO FIM DO TÚNEL COM JULIER!

Créditos: Reprodução de Internet
O candidato a prefeitura de Cuiabá Julier Sebastião vem se destacando durante o horário eleitoral em Cuiabá por ser o novo entre os demais políticos, ou entre os ''macacos velhos'' da politica em Cuiabá Julier é o único que apresenta as melhores propostas para os cuiabanos com o programa de governo intitulado em Cuiabá: Tempo de Inclusão. 

Julier, já na primeira semana de campanha tornou-se conhecido por apresentar a única vice prefeita mulher, a funcionária pública e suplente a Deputada Federal Jusci Ribeiro, e Julier por seu trabalho combativo como Ex Juiz Federal colocando na prisão um dos chefões do crime organizado em Mato Grosso o bicheiro João Arcanjo.
 As propostas de Julier são as melhores que os demais candidatos a começar com a inclusão das Mulheres no Espaço Público e a Valorização a Diversidade Sexual.


Créditos: Reprodução de Internet
A violência urbana vem gradativamente trazendo insegurança para a população cuiabana e consequentemente tornando a cidade refém dessa lamentável realidade, com isso em plano de governo a prioridade de Julier é a Segurança Pública ''Cuiabá Segura''.

O candidato também é o único que se destaca em seu programa eleitoral  pela exigência com a renovação de 100% da frota de ônibus do transporte público em Cuiabá, inclusive com ar-condicionado e internet. Além de promover a menor tarifa entre as capitais brasileiras dentro de um sistema integrado de mobilidade urbana, ele também garantirá um domingo por mês com passagem gratuita para toda a população.

Eis que surge uma luz no fim do túnel em Cuiabá, Julier é a única solução para Cuiabá ser uma cidade de inclusão, tem candidatos velhos por aí que tem mania de pegar coisas da população em abandonar no caminho não é diferente nessas eleições, a exemplo do ex prefeito do PSDB, que abandonou a prefeitura e tem o governador ambos não valoriza servidores públicos e hoje o ex prefeito encontra-se com um índice de rejeição de 54% da população. 

Nenhum comentário: